O reconhecimento facial é a tecnologia do momento para marcação de ponto, unindo inovação e segurança no controle de frequência. Os estudos para a automatização da identificação facial começaram nos anos 60, desde então, esse método evoluiu a ponto de ter a confiabilidade necessária para o registro de frequência. 

As tecnologias sem contato evoluíram muito com a pandemia, mas nenhum deles traz tanto apelo à segurança quanto o reconhecimento facial, que virou uma solução coringa para diversas situações. A taxa de assertividade no reconhecimento de faces possibilita que o registro de ponto seja praticamente imune a fraudes. Desta forma, a biometria facial é o futuro que já está acessível para o controle de frequência dos funcionários. 

 

E como funciona a biometria facial? 

Antes de apresentar a biometria facial no registro de ponto, precisamos explicar como funciona essa tecnologia. Em geral, podemos dizer que existem 3 passos para a identificação e confirmação da face: 

1º Detecção do rosto: A câmera do dispositivo reconhece que existe um rosto; 

2º Identificação das características da face: Nessa etapa que ocorre a identificação facial, o software vai analisar as características do rosto, como formato dos olhos e boca, distanciamento dos olhos, pontos ósseos, etc.  

3º Comparação com as informações do banco de dados: Após identificar as características da face apresentada, o software vai fazer uma busca nas faces já cadastradas e verificar se existe alguma correspondente, chamamos esse processo de Matcher. Uma funcionalidade opcional, que pode estar disponível antes do matcher, é o Liveness, que confirma se o rosto apresentado é “vivo”, evitando que sejam utilizadas fotos no reconhecimento facial. 

Esse processo é padrão para qualquer uso da identificação facial, inclusive no registro de ponto. A marcação ocorre após a comparação com as informações do banco de dados, que vai confirmar se o rosto apresentado está cadastrado como um funcionário da empresa. 

 

Na utilização da biometria facial para registro de ponto existem duas classificações de identificação facial: 

1:1 – Essa é a classificação chamada de verificação, na qual o funcionário já está identificado e a identificação facial confirma que é ele mesmo quem está marcando o ponto.  

1:N – Chamamos de classificação por identificação, nesse caso o funcionário apenas se apresenta para registrar a frequência diretamente em um dispositivo de reconhecimento facial. 

O reconhecimento facial pode ser feito de duas formas, através de hardware ou software, as duas disponíveis nas soluções da Insoft4! 

Software: Existem aplicativos ou funcionalidades dentro de aplicativos que realizam a identificação facial e se comunicam com o banco de dados pela rede, principalmente pela internet, mas pode ser em rede local também. 

Hardware: No mercado já estão disponíveis equipamentos específicos para identificação facial, que podem ser utilizados para registro de Ponto ou Controle de Acesso. A vantagem desses equipamentos é que o banco de dados com as faces cadastradas fica em sua memória interna, o que deixa todo o processo muito mais rápido. 

 

A tecnologia de identificação facial pode parecer um mistério à primeira vista; até poucos anos atrás parecia possível apenas em filmes de ficção científica. Entretanto, como vimos acima, é um processo automatizado simples, já é realidade e o melhor de tudo, está disponível no mercado. Por isso, após entender como a biometria facial funciona vamos ver suas vantagens. 

O principal benefício que o reconhecimento facial na marcação de ponto possui é a segurança. Essa forma de registro de frequência está praticamente imune a fraudes. Um problema comum que as empresas enfrentam nesse processo é a credencial por outra pessoa, quando um funcionário marca ponto por outro.  

Por um tempo, a identificação biométrica da digital pareceu ser uma forma de evitar isso. Porém essa técnica não ficou funcional, já que algumas pessoas possuem desgaste na digital por conta de sua atividade. Exemplo disso são locais que trabalham com produtos químicos, abrasivos ou processos de metalurgia. A identificação facial previne a credencial por outra pessoa e outras fraudes, garantindo que o funcionário que está marcando ponto é ele mesmo. 

Outra vantagem do reconhecimento facial no registro de frequência é a garantia dessa segurança em diversas formas de marcação de ponto. Tanto para os funcionários remotos, que marcam ponto pelo celular, quanto para os colaboradores presenciais, essa funcionalidade estará disponível por hardware ou software. 

Por fim, as tecnologias sem contato ficaram em evidência durante a pandemia e vão continuar após o fim dela. Existe toda uma praticidade envolvendo a biometria facial, já que na prática o funcionário precisa apenas ficar parado e olhar para uma câmera e pronto, o ponto já está marcado. 

  

O que eu preciso fazer para utilizar o controle de frequência com reconhecimento facial? 

Apesar de o INMETRO não ter homologado equipamentos REP com reconhecimento facial, todas as soluções desta tecnologia ficam amparadas pela portaria 373 como registro alternativo de ponto. Para utilizar essas novas tecnologias de registro de ponto facial, a empresa precisa de uma autorização em Acordo Coletivo de Trabalho.  

Outra situação frequentemente trazida pelas empresas em relação a identificação facial envolve a LGPD (Lei Geral de Proteção de dados). As imagens armazenadas para a biometria facial são dados sensíveis e requerem o devido cuidado no armazenamento. Em relação à base legal, ainda pode ser utilizada o cumprimento de obrigação legal ou regulatória. 

  

Formas de registro de ponto com biometria facial: 

Já entendemos como funciona a biometria facial, suas vantagens de ser utilizada no registro de ponto e como a legislação ampara isso. Então finalmente vamos ver como utilizar dessa inovação: 

 

No Ponto Soft Mobile: 

O Ponto Soft Mobile é um aplicativo que permite ao funcionário registrar o ponto de qualquer lugar utilizando apenas seu smartphone. Nele a biometria facial utiliza a classificação 1:1, onde o colaborador faz o login no aplicativo e clica no botão para marcar ponto, estão, com a câmera do próprio telefone é feito o reconhecimento facial para confirmação do funcionário. Todo esse processo garante que o login utilizado pertence realmente ao portador do aparelho. Esse modelo é indicado principalmente para funcionários em trabalho remoto ou híbrido, pois permite a verificação em duas etapas e confirma que, não importa onde o funcionário esteja trabalhando, é ele mesmo quem está marcando o ponto.  

 

REP Virtual: 

O REP Virtual é uma inovação da Insoft4 que permite utilizar um tablet como REP (Relógio Eletrônico de Ponto). É um aplicativo que fica instalado em um tablet disponível para toda empresa. Na prática o funcionário apenas se posiciona de frente para o aparelho, que fará a identificação facial utilizando a classificação 1:N. Esse método, além de ter toda a segurança da biometria facial, reduz a necessidade de investimento em REPs.  

 

Equipamento: 

Para a utilização de equipamentos específicos de identificação facial, criamos uma integração entre os sistemas da Insoft4, inclusive para o registro de ponto. Os equipamentos de reconhecimento facial Hikvision são a melhor opção do mercado para esse uso, por conta da assertividade e velocidade na confirmação da face. Para esse modelo a classificação pode ser 1:N, mas também é possível fazer verificação em duas etapas utilizando 1:1. 

 

Ficou interessado em trazer essa inovação para sua empresa? Entre em contato com o time comercial da Insoft4. 

Link para contato: https://www.insoft4.com.br/contato e nosso Whatsapp comercial: https://bit.ly/3x0SkRr