Empatia - Uma das chaves para o sucesso das pessoas e das organizações.

 

Com certeza você já ouviu que, antes de criticar alguém, é “preciso calçar os seus sapatos”. Essa é uma máxima antiga que se encaixa muito bem no conceito de empatia, que consiste na capacidade de nos colocarmos no lugar do outro. De, basicamente, conseguir sentir o que o outro sente.

 

Ser empático é buscar entender as vivências e emoções do outro por uma nova perspectiva. É não se fechar em uma bolha pensando que não existe nada mais ao redor, mas entender que cada ser humano é diferente do outro.

 

Daniel Goleman, contribui com seus estudos e diz que a empatia é “perceber o que as outras pessoas sentem sem que elas o digam”. Para o autor, as pessoas raramente nos dizem em palavras aquilo que sentem, mas revelam-no por seu tom de voz, expressão facial ou outras comunicações não-verbais. A empatia é o nosso “radar social”, ou seja, precisamos ser capazes de entender a linguagem das emoções e sentimentos das pessoas ao nosso redor.

 

Assim como na vida pessoal, a empatia no trabalho tem grande valor, pois contribui para um ambiente mais harmonioso, uma vez que o trabalho em equipe envolve relacionar-se com outras pessoas, comunicar-se e cooperar. É um processo de adaptação, onde faz-se necessário dividir não apenas os espaços físicos, mas também compreender e respeitar os espaços emocional e cognitivo de cada um. Se cada colaborador for capaz de compreender as limitações e os sentimentos dos colegas, as chances de desentendimentos diminuem significativamente e a tendência da produtividade é aumentar.

 

Diante do cenário organizacional em transformação constante, com a diversidade das gerações, novas competências e novos valores, as mudanças no ambiente de trabalho são inevitáveis. Relacionar-se com pessoas diferentes e prioridades distintas, pode ser um grande desafio. Por esses motivos, é que a empatia no trabalho, hoje, é tão valorizada. Encontrar profissionais empáticos, que pensam na equipe, no clima organizacional e no bem-estar para que todos possam se desenvolver melhor, é cada vez mais necessário.

 

Uma pesquisa realizada pela consultoria americana Businessolver em 2019, revelou que 79% dos CEOs pesquisados, reconhecem a empatia com uma das chaves para o sucesso e veem cada vez mais a empatia como um valor vital no local de trabalho. Praticamente todos os líderes sentem que é importante que as organizações demonstrem empatia e uma parcela significativa sente que o progresso ainda é necessário em relação à temática.

Mas como isso ocorre? Acredita-se que uma das explicações é pelo simples fato dos profissionais que compreendem como os outros se sentem e criam laços afetivos com seus colegas e clientes, atingem melhores resultados.

 

A consultoria ainda aplicou neste mesmo ano, um questionário sobre o Estado da Empatia no Local de Trabalho e obteve alguns indicadores, tais como: noventa e um por cento dos CEOs acreditam que a empatia está diretamente ligada ao desempenho financeiro de uma empresa, enquanto 93% dos colaboradores s dizem que é mais provável que fiquem com um empregador empático. Os resultados ainda revelaram que oitenta e cinco por cento dos colaboradores acreditam que uma empresa empática é aquela que possui maior diversidade e 95% dizem que práticas voltadas para as famílias e o horário flexível, denotam ser empresas empáticas.

 

Três sugestões para desenvolver a empatia no ambiente de trabalho:

- O ponto de partida é ouvir. Contudo, mais que ouvir, é preciso “compreender em maior profundidade” o que o outro diz.

- O segundo passo está relacionado à inteligência emocional – reconheça e controle suas emoções, sobretudo, em situações de estresse.

- Por fim, evite suposições. Temos a tendência de julgar o que é certo e o que é errado. Precisamos policiar nossos pensamentos e evitar fazer pré julgamentos e suposições sobre os outros.

 

É importante destacar que a empatia é a base de uma cultura positiva no trabalho, e demonstrar que você compreende em maior profundidade as diretrizes estratégicas da empresa e entende as experiências de seus colegas é uma ótima maneira de desenvolver o senso de comunidade. Então, questione-se: como você demonstra empatia no ambiente de trabalho e pense em maneiras de aumentar sua contribuição nisso. Conseguir se colocar no lugar do outro pode ser uma experiência recompensadora quando você se prepara e se esforça para sentir empatia genuína pela outra pessoa.

 

Diante do cenário atual, percebe-se que a compreensão, a valorização e o desenvolvimento da empatia não constitui somente um pequeno passo para as pessoas, grupos e organizações, pois ela não é apenas uma competência profissional desejada, a empatia é uma questão de sobrevivência!